Documental

Os 7 meses do Davi no Estádio Couto Pereira

A fotografia me traz oportunidades de viver os momentos mais incríveis das famílias.

Vocês já viram esta família por aqui. Fotografei a espera do Ravi, o encontro do Benício com o Ravi na maternidade, o batizado do Ravi e agora registrei os 7 meses do nosso pequeno gordinho fofureza. Muitas pessoas tem procurado opções diferentes de registros de acompanhamento do 1º ano de vida do bebê. Eu acredito muito na fotografia como história, com movimento, sentimento e vivência. Como eu já conheço a família e sabia que o Irineu é um torcedor incondicional do Coritiba, a Carla topou a ideia maluca de fotografar os 7 meses de vida do Ravi no lugar que o pai e o irmão mais amam estar: no Couto Pereira. Sim, o ensaio aconteceu durante o JOGO. Acho que muitos de vcs, quando crianças, devem ter ido ao estádio de futebol do time do coração com o pai ou mãe. A lembrança na mente existe, mas o registro fotográfico desse pequeno grande momento são pouquíssimas pessoas que têm (até pq fotografia era um negócio meio caro tempos atrás). Foram diversos momentos importantes para os 4, masteve um que me chamou muita atenção: o Benício e o Irineu na grade da arquibancada. Este momento aconteceu no 2o tempo do jogo quando o Benicio já não queria mais ficar na cadeira. Ele pegou seu pai pela mão e pediu pra ir até ali. Eu geralmente vou atrás, mas dessa vez fiquei parada no lugar, mais precisamente no corredor da arquibancada. Observei e senti um negócio mto forte no meu coração. Essa seria a foto que vai sempre mexer com a alma dos dois. O amor do pai pelo filho, pelo seu time e o que ele ensina diariamente o seu filho a amar. O documental foi para registrar os 7 meses do Ravi, mas esse é um daqueles registros que sempre vou lembrar por entender a importância que terá lá na frente. E sabe por quê? eu queria ter essa mesma fotografia com o meu pai. Espero que ele logo aceite o meu convite para ir ao estádio ❤

Que a gente fotografe mais os momentos e menos as poses porque o que fica no final são as histórias a serem contadas.

Ah, e como sabem sou athleticana, mas acreditem: eu tava MUITO feliz por estar no estádio do Coxa com a família Galeski. Foi muito, mas especial pra mim. Jamais vou esquecer!